As joias vermelhas da Fazenda Camparino em oferta


A 1ª Semana Nelore e Sindi Camparino está gerando grande expectativa no mercado. O evento que será realizado de 27/10 e 4/11 vai ofertar 129 fêmeas da raça. Conheça mais da história do Sindi da Fazenda Camparino! Uma das regiões com maior concentração de Nelore no país, Mato Grosso, há alguns anos voltou os olhos para a raça Sindi. Quem puxou a fila de investidores e adeptos do gado vermelho no Centro-oeste foi José Humberto Vilela Martins, da Fazenda Camparino, que fica em Cáceres, no sul do estado. O pecuarista, um verdadeiro apaixonado pelo que faz, nasceu em Ituiutaba, no pontal do Triângulo Mineiro e foi criado em Goiás, outro berço da pecuária nacional. Ele faz parte da quinta geração de uma família dedicada ao agronegócio e, como ele mesmo diz, “não nasceu para outra coisa a não ser a pecuária”. O amor e a dedicação pela Fazenda Camparino, uma das maiores referências dentro da raça Nelore e Gir Leiteiro, começou no início da década 90, onde o criador passou a concentrar, ao lado da esposa, todos os seus investimentos. A raça Sindi entrou para o plantel da Camparino há cerca de oito anos, depois de uma visita feita a um amigo em Goiás. “Tive a oportunidade de conhecê-la na fazenda de um companheiro em Jataí, quando fui comprar vacas Nelore. Aquilo foi bem no pico da seca, em meados de agosto para setembro e, mesmo assim, os animais Sindi estavam gordos e isso me chamou muito a atenção. O dono dos animais chegou a falar comigo que aquele gado não emagrecia por nada. Fiquei tão empolgado que já encomendei um caminhão de fêmeas. Eu falei que voltaria em 30 dias e voltei mesmo, e a partir daí, fui comprando mais e em 30 dias comprei 105 cabeças. Encerrei as primeiras compras no Adaldio Castilho. Atualmente o plantel conta com 250 fêmeas, produz 80 touros por ano e fatura também com a vende de sêmen dos seis raçadores da Camparino e de parcerias, que estão em centrais de coleta”, relata. Resultados José Humberto diz que o seu objetivo era atingir um animal que ao desmamar tivesse cerca de 50% do peso da mãe e até então isso não havia sido possível. “É normal na raça Sindi a bezerrada desmamar com cerca de 60% do peso da mãe. A vaca é pequena, mas o bezerro é grande e isso representa um lucro real, nítido aos olhos e nenhuma outra raça consegue fazer isso”, diz. Nos primeiros quatro anos, o criador conseguiu triplicar o seu rebanho de fêmeas e machos, todos PO. “Os animais ficam em uma área da fazenda que o Nelore não se adaptou e o Sindi se deu muito bem. A minha proposta para os próximos anos é focar na venda dos machos. Fiz uma pequena quantidade de cruzamentos de Sindi com vacas Nelore PO e Novilhas Red Angus, que também cruzei com o Sindi PO como amostra. Porém, o meu foco sempre foi um rebanho 100% PO”, informa. “Essa é uma raça muito sólida, muito consistente com um bom rendimento. Fora a sua rusticidade, que não é encontrada em nenhum outro zebuíno. Quem tiver dúvida é só conferir os animais que vivem no Nordeste”, reforça. A 1ª Semana Nelore e Sindi Camparino está sendo aguradada com muita expectativa e confiança. “O Sindi está no ritmo certo, bem consistente, bem consciente”. “Eu estou satisfeito e quem convive comigo também. Ao contrário do que aconteceu quando cheguei à fazenda com os primeiros animais e os empregados da fazenda me perguntaram o que eu iria fazer com aquele ‘gadinho’. Hoje estão todos entusiasmados, tanto quanto eu”, completa. Além do Sindi, Nelore Padrão e Mocho e do Gir Leiteiro, José Humberto investe ainda em cavalos Quarto de Milha para competição. Para ele, “o gado tem de ser bonito e funcional; dócil e sempre muito fértil, com precocidade, produtividade e rusticidade”. Sua equipe de profissionais mantém a qualidade do plantel que é todo voltado para programas de Melhoramento Genético, o que segundo o dono da Camparino, “agrega valores e fortalece a raça”. Texto: Sabrina Alves e Márcia Benevenuto Foto: O Zebu no Brasil Serviço: Evento: 1ª Semana Nelore e Sindi da Camparino Período: 27/10 a 4/11 Produto: Fêmeas - 173 Nelore Padrão, 240 Nelore Mocho, 129 Sindi Local: Virtual Leiloeira: Connect Leilões Assessoria: Carvalho Assessoria Informações: Silvestre (43) 99111 2929 e Luide (43) 99958 0241 Forma de pagamento: 30 parcelas, sendo 2+2+2+2+2+20 Frete facilitado para todo o Brasil na malha viária Transmissão: SBA Canal do Boi Programação: 27/10 – 14h as 19h – Canal do Boi 28/10 – 14h as 19h – Canal do Boi 29/10 – Durante a programação – Canal do Boi 30/10 – 20h as 0h – Agrocanal 31/10 – 20h as 0h – Agrocanal 01/11 - 20h as 0h – Canal do Boi 02/11- 20h as 0h – Canal do Boi 03/11- 20h as 0h – Canal do Boi 04/11- 14h as 19h – Canal do Boi (Confirmações) Baixe o catálogo aqui


Tião fala de Sindi na Globo Rural

Conheça a raça de \"bovinos do deserto\" adaptados à seca que vem crescendo no Brasil Por Sebastião Nascimento *Publicado o...

PNAT tem doses gratuitas do Feitiço

Os rebanhos colaboradores do PNAT podem solicitar as doses do Touro Feitiço da Porangaba, eleito na bateria de 2019, para a ABCZ até ...

ABCSindi apoia o PNAT da ABCZ

A ABCSindi convoca criadores para o PNAT 2020 A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) mantém em seu site a lista de ...

Sindi é ciência em revista da Austrália

O grupo de pesquisa em Genética e Melhoramento Animal da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal da Bahia ...

Sindi Porangaba doutrina no virtual

A grande capacidade de reorganização dos promotores do shopping e do leilão anual da Fazenda Porangaba manteve o interesse do públi...

Canceladas atividades na ExpoZebu

COMUNICADO A Associação Brasileira de Criadores de Sindi (ABCSindi), em conjunto com sua Assessoria Técnica, deliberou pelo adia...

NOSSOS PARCEIROS